** Data da pubicação 22/10/2021

A importância dos maturadores na qualidade da matéria-prima da cana

por Dra. Márcia Justino Rossini Mutton - Professora da UNESP / Jaboticabal | Episódio 30

Ícone do player Spotify do podcast Fala, Agro

Spotify

Ouça o podcast fala agro no player toneIn

TuneIn

Ouça o podcast fala agro na player do deezer

Deezer

Ouça o podcast fala agro no podbean

Podbean

Ouça o podcast fala agro no player da apple

Apple

Ouça o podcast fala agro no player da apple

Castbox

O uso de maturadores é uma importante ferramenta na gestão estratégica do manejo da cana-de-açúcar, visando o incremento da qualidade da matéria-prima entregue à indústria. Os maturadores são produtos químicos que aceleram o acúmulo de açúcares nos colmos da cana e contribuem com a manutenção do ATR, minimizando as perdas ao final da safra. 

No início da safra os maturadores são utilizados em variedades precoces com o objetivo de acumular sacarose na cana e inibir o florescimento da planta. No meio da safra, esses produtos são aplicados para explorar o máximo do potencial de sacarose das variedades. Já no final da safra, os maturadores são usados para manter o acúmulo de sacarose, permitindo a extensão do período de safra.

No episódio 30 do podcast Fala, Agro! a professora do Departamento de Biotecnologia Agropecuária e Ambiental da UNESP de Jaboticabal, Dra. Márcia Justino Rossini Mutton, professora, falou sobre a importância do uso de maturadores no processo de maturação da cana e na qualidade da matéria-prima.

Veja abaixo os principais trechos e informações da entrevista

O conceito de qualidade de matéria-prima no setor canavieiro

Os fatores que interferem na qualidade da matéria-prima podem ser entendidos como aqueles que atuam reduzindo ou melhorando a qualidade tecnológica da cana. Porém, ao longo dos últimos anos, o setor sucroenergético passou por uma mudança nesse conceito, conforme explica a especialista Dra. Márcia Justino Rossini Mutton, professora do Departamento de Biotecnologia Agropecuária e Ambiental da UNESP de Jaboticabal.

Há dez, quinze anos, nós classificávamos a qualidade da matéria-prima de acordo com o valor de POL, percentual de pureza, que deveria estar acima de 85%, teor de fibras e teor de açúcar redutor. Porém, a indústria moderna exige que o setor se atente também para outros parâmetros”, explica a professora.

Os mercados nacionais e internacionais, por exemplo, alteraram as exigências dos padrões de qualidade do açúcar e do etanol para subsidiar outros segmentos, tais como bebidas, produtos farmacêuticos e resinas. Paralelo a isso, a evolução do sistema de produção acarretou na adoção de novas práticas agrícolas que impactam na qualidade da cana, entre elas a colheita mecanizada.

Mais de 90% da área de cana-de-açúcar no Brasil é colhida de forma mecanizada e essa operação é fundamental para a eficácia do sistema produtivo. Porém, na colheita da cana crua, a planta pode sofre algumas variações que impactam a qualidade da matéria-prima. “Brotações tardias, florescimentos, isoporização, maturação e o tombamento são algumas das variações que podem alterar a qualidade da matéria-prima entregue à indústria”, explica a especialista.

Nesse sentido, o ataque de pragas e doenças também pode interferir no rendimento do processamento industrial. Além disso, é importante também colher uma cana fresca, ou seja, processar com menor tempo de colheita e baixos teores de impurezas, destaca Márcia.

A professora ainda acrescenta: “em paralelo à toda essa tecnologia aportada no segmento, a qualidade da matéria-prima poderia ter melhorado pouco mais.

Fatores que interferem na qualidade da matéria-prima

O advento de novas tecnologias no segmento agrícola e industrial possibilitaram ao setor sucroenergético produzir uma matéria-prima de qualidade superior. Do ponto de vista agrícola, a escolha de variedades adequadas ao ambiente de produção, bem como o manejo correto desse material e o uso de fertilizantes e maturadores são iniciativas que contribuem para uma melhora na qualidade da cana produzida.

De acordo com a professora da UNESP de Jaboticabal esse trabalho irá proporcionar ganhos ao longo de toda a etapa do processo produtivo. “Todo o ganho obtido na parte agrícola irá dilatar o ganho da indústria, pois, ela não produz, apenas recupera o que a agrícola entregou”.

A importância dos maturadores no manejo da cana

O uso de maturadores é uma importante ferramenta na gestão estratégica do manejo da cana-de-açúcar, visando à qualidade da matéria-prima. Ao longo do ciclo, a cana sofre a interferência do clima, que causa mudança no nível de açúcar na planta, podendo ficar mais alto ou baixo.

Além disso, a quantidade de exposição à luz e a amplitude térmica são fatores que afetam a concentração de açúcar na planta. Nesse sentido, os maturadores podem ser utilizados para antecipar o processo de maturação, auxiliando o agricultor no planejamento da colheita, conforme explica a professora.

“Os maturadores regulam o crescimento da planta e são recomendados para acelerar o processo de maturação e estimular o acúmulo de sacarose no colmo. Ou seja, os maturadores permitem que a planta expresse todo seu potencial produtivo e impactam diretamente na qualidade da matéria-prima”.

Benefícios do uso de maturadores em cana

1. Os maturadores são uma mportante ferramenta para potencializar o incremento de ATR (Açúcar Total Recuperável) no início da safra e minimizar a redução ao final. Ou seja, a cana pode ser colhida após o período indicado sem perdas. Além disso, proporciona maior longevidade ao canavial;

2. Auxilia o agricultor no planejamento da safra, facilitando a colheita e o transporte da cana e permitindo ganhos de TCH (Tonelada de Cana por Hectare);

3. Importante ferramenta em adversidades climáticas, minimizando perdas com excesso de chuvas, por exemplo.

Em que fase do ciclo produtivo os maturadores devem ser utilizados?

Mais de 80% dos maturadores são utilizados no início de safra, no período de 15 de fevereiro a 30 de abril, visando o acúmulo de sacarose e a qualidade da matéria-prima entregue à indústria. As aplicações realizadas em início de safra objetivam a melhoria da qualidade da matéria-prima e antecipação da colheita de variedades de ciclo de maturação médio ou tardio.

De maio até meados de novembro, o tratamento tem por objetivo explorar o potencial máximo de sacarose das cultivares intermediárias e tardias, além de evitar o declínio do teor de sacarose no final de safra, devido aos fatores climáticos. Somado a isso, os maturadores também ajudam a melhorar a qualidade da matéria-prima, proveniente de cana-de-açúcar de ano.

De modo geral, os maturadores podem ser utilizados durante todo o período da safra, devendo ser aplicado de 15 a 60 dias antes do corte da cana-de-açúcar, segundo a dose utilizada, e estando a cultura na fase final de desenvolvimento vegetativo.

Quando utilizar os maturadores em cana?

1. Início de safra: utilizado em variedades mais precoces, visando o acúmulo de sacarose, bem como a inibição de florescimento e o desenvolvimento das flores;

2. Meio de safra: indicado para explorar o máximo do potencial de sacarose das variedades;

3. Final de safra: mantém o acúmulo de sacarose na planta, permitindo a extensão do período de safra.

Conheça o Trix, novo maturador da Ourofino

Lançado no último ano, o Trix ® (trinexapaque-etílico), maturador da Ourofino Agrociência, atua na redução da gibelerina ativa, o que ocasiona a diminuição temporária do crescimento vegetativo da planta. Dessa forma, os níveis de ATR (Açúcar Total Recuperável) são preservados ou até mesmo aumentados. O produto não oferece risco de fitotoxicidade para a cultura da cana, garantindo que sua ação seja mais eficiente e somente no local desejado.

Além disso, o maturador possui rápida absorção, o produto é absorvido em cerca de uma hora, contribuindo para que se reduza as perdas do produto por chuvas após a aplicação.

O Trix ® pertence ao Ciclo100, um programa completo desenvolvido pela companhia para o manejo de plantas daninhas, pragas e doenças durante todo o ciclo produtivo da cana-de-açúcar. Além do maturador, este portfólio contempla diversas outras soluções, a fim de manter a qualidade dos canaviais e os ganhos industriais.

Outra inovação que o Trix ® faz parte é o Segnus, o programa de excelência em tecnologia de aplicação da Ourofino. Ao adquirir o maturador da indústria de origem brasileira, o canavieiro poderá utilizar uma importante ferramenta para monitoramento de aplicações aéreas, desenvolvida pela startup parceira, Perfect Flight. Assim, além de garantir os ganhos industriais, a aplicação será muito mais segura e assertiva.

Por que utilizar maturadores em condições adversas?

A safra brasileira de cana-de-açúcar 2020/2021 tem sido desafiadora, o setor enfrenta uma das piores secas dos últimos 90 anos. Segundo a professora da UNESP de Jaboticabal, em períodos de adversidades, o uso de tecnologias, como por exemplo, os maturadores, são fundamentais para minimizar as perdas de rendimento, decorrentes de fatores climáticos.

“Quando o agricultor protege o canavial com o uso de maturadores, ele amplia a possibilidade de melhorar a extração de açúcar por área, processar uma matéria-prima de maior qualidade e, por fim, caso a safra se estenda a um período de chuvas, o agricultor pode ter um dano ainda maior caso ele não proteja o canavial com os maturadores.”

Compartilhar

Compartilhe essa notícia com seus amigos!