Histórias de sucesso são construídas por capítulos bem escritos. Prova disso são as linhas que contam a vida dos empreendedores Norival Bonamichi e Jardel Massari, dois visionários que há mais de 30 anos contribuem com importantes passagens na história do agronegócio nacional.

Foi assim também em 4 de fevereiro de 2019, quando mais uma vez a dupla iniciou um novo enredo para a Ourofino Agrociência, empresa com pouco mais de 8 anos de atuação no mercado de defensivos agrícolas. Na oportunidade, foi estabelecida uma parceria estratégica entre a empresa brasileira junto às tradicionais companhias japonesas Mitsui e ISK, que agora têm participação societária de 20% e 5%, respectivamente.

“A Ourofino Agrociência, seus clientes e fornecedores serão extremamente beneficiados pelo conhecimento e investimento em novas pesquisas que as duas empresas agregarão ao negócio. Aliada ao atual modelo de gestão, que fez o sucesso da companhia até o momento, a parceria impulsionará nossa força no competitivo agronegócio brasileiro”, afirma o presidente e sócio-fundador da Ourofino, Norival Bonamichi.

A confiança de Bonamichi não é por acaso. Consultado constantemente por diversas empresas que enxergaram na Ourofino Agrociência, assim como no agronegócio brasileiro, um enorme potencial, o empreendedor sempre teve em mente que um eventual acordo deveria beneficiar, principalmente, o produtor rural pelo trabalho realizado tanto pela Mitsui quanto pela ISK no mundo, em um curto espaço de tempo novidades chegarão ao mercado. “O objetivo dessa parceria é a captura de sinergia entre as empresas, para que de forma rápida e intensa, possamos criar e compartilhar valor ao agricultor brasileiro”, acrescenta.

E conhecimento, estrutura, investimentos e empenho não faltarão para que isso se concretize. Em pouco mais de 8 anos de história, a Ourofino Agrociência coleciona conquistas e aprendizados. A empresa construiu uma das mais modernas fábricas de defensivos agrícolas do mundo; conquistou o registro de 35 produtos e aguarda outros 22 para os próximos três anos; ampliou sua estrutura de pesquisa e desenvolvimento; redirecionou seus esforços para as particularidades da agricultura brasileira; e, por fim, está próxima de ultrapassar o faturamento anual de R$ 1 bilhão.

A Mitsui, por sua vez, é líder em trading e mantém investimentos em diversas áreas de negócio com mais de 450 empresas afiliadas. Já a ISK é especializada em pesquisa e desenvolvimento de novas moléculas, com foco na área de agroquímicos. “Através deste investimento, será possível acompanhar a vanguarda do mercado agrícola no Brasil e agarrar com precisão os movimentos deste segmento”, explica Tetsu Watanabe, Gerente Geral da Divisão de Agrociência da Mitsui.

O que esperar agora?

Para falar sobre o futuro, mais do que ouvir as lideranças da companhia é importante saber como o mercado avalia a parceria. De acordo com Marcos Fava Neves, especialista em planejamento estratégico para o agronegócio, a união destas três empresas significa mais do que uma operação financeira habitual. Isso porque, considerando os pontos fortes de cada uma, a agricultura brasileira ganhará soluções adaptadas às suas particularidades de forma rápida e precisa, mantendo o propósito que levou a Ourofino Agrociência a ter expressão neste mercado. “Com a parceria, a soma dos ativos tangíveis e intangíveis como conhecimento de mercado, de clientes, de processos produtivos, de governança e controles serão compartilhadas, permitindo às empresas crescerem em conjunto, num ambiente de aprendizado contínuo, sem contar os benefícios associados ao portfólio, inovações e capacidade de investimento”.

Quando perguntado sobre os benefícios individuais para as companhias, Fava diz. “A Ourofino Agrociência poderá acelerar seu crescimento, com mais recursos para investir em inovação. Já para as empresas japonesas, o ganho será em conhecimento, uma vez que a Ourofino Agrociência representa uma plataforma de desenvolvimento para que, juntas, cresçam no pujante agronegócio brasileiro.

Com a palavra, Tetsu Watanabe, gerente geral da Divisão de Agrociência da Mitsui

Reimagine Agro: Quais motivos levaram a Mitsui e a ISK a investirem no agronegócio brasileiro?

Tetsu Watanabe: O Brasil possui o maior mercado de defensivos agrícolas, aproximadamente 20% do mercado global. O crescimento populacional, especialmente nos países emergentes, mostrou ser um fator chave de crescimento e a expectativa é que o mercado brasileiro continue se beneficiando dessa tendência. Através deste investimento, será possível acompanhar a vanguarda do mercado agrícola no Brasil e aproveitar com precisão os movimentos deste segmento. Reconhecendo o valor deste mercado, queremos contribuir com o desenvolvimento da agricultura brasileira por meio dos variados negócios da Mitsui, além dos produtos diferenciados da ISK.

O que o senhor espera da parceria?

Um dos pontos fortes da Ourofino é reunir as informações sobre as necessidades do mercado por estar muito próxima dos produtores brasileiros, desenvolvendo ótimos produtos que atendem à demanda dos consumidores e as condições climáticas do país. Aproveitando ao máximo essa habilidade da Ourofino, esperamos ampliar as opções de produtos no mercado e, com a sinergia entre as empresas, acelerar a integração de operações e contribuir com o desenvolvimento da agricultura brasileira.

Ficou interessado? Quer saber mais?

Compartilhar

Compartilhe essa notícia com seus amigos!