MIP: Manejo Integrado de Pragas. O que é e como realizar?

Canal Digital, Podcast

Saiba quais são as principais ações de controle do método e como impementá-las na sua lavoura

MIP: Manejo Integrado de Pragas

por Hélvio Campoy / Pesquisador de Inseticidas da Ourofino Agrociência | Episódio 11

Ícone do player Spotify do podcast Fala, Agro

Spotify

Ouça o podcast fala agro no player toneIn

TuneIn

Ouça o podcast fala agro na player do deezer

Deezer

Ouça o podcast fala agro no podbean

Podbean

Ouça o podcast fala agro no player da apple

Apple

Ouça o podcast fala agro no player da apple

Castbox

Principais Destques

 

  • Conceito e objetivos do MIP;

  • Como realizar o monitoramento;

  • Exemplos da ações de manejo integrado de pragas;

  • Quando iniciar o controle.

O Manejo Integrado de Pragas (MIP) é uma técnica que otimiza o controle de pragas agrícolas, ajuda o produtor a explorar o potencial produtivo da cultura, reduzir os custos de produção e minimizar os danos ambientais e ecológicos da atividade. Esse conceito foi desenvolvido na década de 60 e é extremamente importante para o manejo de pragas em climas tropicais, como o do Brasil

Veja abaixo os principais pontos da entrevista com o Pesquisador da Área de Inseticidas da Ourofino Agrociência, Helvio Campoy, sobre o tema.

O que é o Manejo Integrado de Pragas?

 “O conceito do MIP, Manejo Integrado de Pragas, surgiu dentro de um contexto em que os agricultores realizavam aplicações excessivas de produtos, muitas vezes sem nenhum critério para a tomada de decisão. Essa “calendarização das aplicações”, ou seja, o uso de produtos de maneira desenfreada resultou no surgimento de insetos resistentes aos inseticidas. Tivemos também um aumento de problemas com pragas secundárias, que anteriormente não causavam prejuízos significativos para as culturas”.

 “Nesse contexto, o manejo integrado de pragas surge como uma ferramenta importante para preservar a fauna da região, minimizar o impacto ambiental e ecológico, reduzir o custo de produção e auxiliar o desempenho produtivo das culturas”.

Como deve ser feito o monitoramento da lavoura para identificação das pragas?

“O monitoramento da lavoura é fundamental para o programa de manejo integrado de pragas, pois, permite ao agricultor identificar o nível populacional da praga e assim tomar a decisão de controle mais adequada”.

“É importante destacar que o monitoramento deve ser realizado ao longo de todo o ciclo de desenvolvimento da cultura, em alguns casos ele deve ser iniciado até mesmo antes da semeadura. No sistema de plantio direto por exemplo, antes de iniciar a dessecação das plantas daninhas é importante que o agricultor realize o monitoramento dessas áreas para conhecer como está o nível populacional das pragas que podem afetar o desenvolvimento da cultura que será semeada”.

“A capacitação dos profissionais é fundamental. Em muitas regiões esses trabalhadores são conhecidos como “pragueiros”, eles devem ser bem treinados para notificar as pragas de forma correta. Uma avaliação errada pode gerar uma tomada de decisão precipitada e um controle ineficiente da praga, com recomendações de dose e produtos não compatíveis com situação da lavoura”.

Exemplos de ações de controle no Manejo Integrado de Pragas

 “O conceito do manejo integrado de pragas é justamente a integração de métodos de controle. Podemos citar o controle cultural, como por exemplo realizar um bom manejo de plantas daninhas, mantendo a cultura no “limpo”.  Isso é classificado como um manejo cultural, pois, essas plantas daninhas podem servirem de hospedeiras de espécies de pragas. Portanto, ao eliminar essas plantas você diminuiu a população de espécies de pragas no campo”.

 “Outro exemplo de manejo cultural é o revolvimento do solo, que controla algumas espécies de pragas que vivem no solo. Existe também o método de controle biológico com a liberação de alguns predadores, parasitoides e entomopatógenos”.

 “É possível também fazer o controle varietal, através do uso do melhoramento genético com a escolha de plantas transgênicas, que expressa uma proteína que é capaz de controlar um determinado inseto”.

 “Uma outra forma de manejo é o controle químico. Embora o uso excessivo e sem indicação gere problemas, quando utilizado de forma responsável essas tecnologias são uma ótima ferramenta para controle de pragas, sendo considerado um dos principais métodos de manejo”.

Quando iniciar o controle?

 “O agricultor deve manter as populações de praga abaixo do nível de dano econômico, por isso, é monitoramento é fundamental no programa de manejo. O produtor só irá descobrir se a população de uma praga está próxima de atingir o nível de dano econômico se ele realizar frequentes amostragens nas áreas”.

 “Existe o nível de controle, que é estabelecido de acordo com a região, intensidade de ataque da praga e varia de acordo com a ferramenta de controle utilizada. Para ter certeza de qual nível de controle utilizar o produtor deve consultar um engenheiro agrônomo para desenhar o planejamento do programa de manejo integrado de pragas”.

 “Se as pragas estiverem no nível de equilíbrio, ou seja, ainda não atingiu o nível de controle que requer intervenção, o agricultor não deve tomar nenhuma ação imediata. Nesse caso, recomenda-se programar uma nova ação de monitoramento e verificar se houve variação no nível de infestação da praga. Se isso ocorrer, o agricultor deve então iniciar uma ação para de controle”.

Últimas notícias

24 de abril, Dia Internacional do Milho

24 de abril, Dia Internacional do Milho

Puro ou como ingrediente de outros produtos, o milho é uma importante fonte energética e econômica para diversos setoresO milho é fundamental para o mundo. Além de ser um dos alimentos mais nutritivos que existem, é fonte de renda para diversos setores. No Brasil, em...

ler mais

Compartilhar

Compartilhe essa notícia com seus amigos!